Tenha o relacionamento que sempre sonhou, com esse passo a passo simples.

Inscreva o seu e-mail aqui e receba o Manual dos relacionamentos saudáveis. É grátis!

Relacionamento

Como impor limites no relacionamento sem se tornar um chato

Seus limites são impostos por você e precisam ser bem claros, para que os relacionamentos sejam saudáveis!

Seus limites são impostos por você e precisam ser bem claros, para que os relacionamentos sejam saudáveis!

Todo mundo já ouviu ou já aplicou aquele ditado que diz: “Paciência tem limite”, em algum momento da vida. Essa frase diz muito quando paramos para pensar o que realmente significam os limites e em qual circunstância eles podem e devem ser empregados de forma saudável.

Partimos do princípio de que algumas barreiras são necessárias para o nosso crescimento, amadurecimento e entendimento de ser humano em meio à sociedade. São essas barreiras que nos dizem até onde podemos ir, sem nos metermos na vida e na caminhada do outro.

Façamos uma relação e reflexão rápida, comparando placas que vemos diariamente na rua, com os limites impostos em relacionamentos afetivos. Cruzamos seguidamente com sinais escritos “não estacione”, “não ultrapasse”, “não entre”.

Essas frases negativas apontam o que não devemos fazer em locais públicos, como restaurantes, estradas e ruas. Elas estão diretamente ligadas a dizeres comuns entre um casal, como: “não aceito traições”, “não aguento mais os seus atrasos”, “não mexa em minhas coisas pessoais”.

O mais intrigante é que, comumente, a mesma pessoa consegue entender e respeitar o significado das placas. Porém não consegue aceitar os limites que o marido ou a mulher está impondo.

Os limites estabelecidos precisam ser respeitados, para que um não machuque o outro.

Os limites estabelecidos precisam ser respeitados, para que um não machuque o outro.

Ideias para impor limites em um relacionamento

O respeito em um namoro ou casamento é imprescindível. Ele está diretamente ligado aos limites e a aceitação deles pelo outro. Mas como impor os meus limites sem deixar um mal estar no relacionamento, ou sem que a outra pessoa se ofenda?

Veja algumas ideias que podem ajudá-lo:

– O diálogo é tudo numa relação desde o início. Somente ele poderá deixar as coisas claras e bem estabelecidas. A probabilidade de alguma barreira ser ultrapassada, quando há um aviso prévio sobre, é pequena. Já quando não há esclarecimento nenhum, ela é enorme e até deixa de ser hipótese para ser certeza.

– Cada pessoa possui um passado e muitos desses limites podem se dar por motivos antigos. Portanto, o entendimento para com os limites de seu parceiro, pode ser a salvação de uma boa relação.

– É importante lembrar que impor limites não é desrespeitar o outro. É apenas mostrar que, por algum motivo, não é para ninguém tentar ultrapassar o que é privativo.

– Toda ação, tem uma reação. Caso o limite imposto seja ultrapassado, haverá consequências. E, cada pessoa deverá aprender a lidar com elas, caso escolha desrespeitar o próximo, mesmo que de maneira impensada.

As personalidades são muito variadas, e os limites e barreiras de cada um são tão variados quanto.

Por isso, seja em um relacionamento amoroso, em um ciclo de amizade ou na própria família é preciso impor limites. Você precisa delimitar o seu território e deixar claro até onde os outros podem interferir em sua vida. Isso é fundamental para quem quer manter convivências harmônicas de maneira saudável.

Tentar respeitar e não passar a linha com os demais seres humanos ao nosso redor é apenas mais um desafio que buscamos ter excelência.

Imponha seus limites, mas compartilhe e abra algumas concessões para não virar um chato!

Imponha seus limites, mas compartilhe e abra algumas concessões para não virar um chato!

Imponha limites sem ficar chato

Outro ponto importante é ter o cuidado para não virar um chato. Quando o assunto é impor limites, você precisa pensar em outra palavra: equilíbrio.

A convivência com o outro depende não só dos limites que você impõe a ele, mas ao que se dá também. Uma lei em relacionamentos precisa ficar clara: eles são vias de mão dupla.

Por isso, tenha sempre em mente, que da mesma forma que você não gosta de ter seu espaço invadido, o outro também não.

Além disso, ainda há outro problema: o limite em se impor limite. Parece estranho, mas há gente que acaba ficando obsessiva, tolhendo toda e qualquer ação de quem está por perto.

Nesse caso, lembre-se que para conviver bem é preciso às vezes abrir concessões. Fique atento também para o fato de que às vezes você vai abrir mão da sua privacidade, mas que da mesma forma vai invadir a do outro por diversas ocasiões.

Agora, você já tem uma noção de como fazer para impor seus limites. Essa é uma missão árdua e diária. O outro vai lhe testar inúmeras vezes e em outras tantas, você vai acabar falhando e se sentindo mal por isso.

Você pode se aprofundar melhor nesse assunto no eBook Já que relacionamentos perfeitos não existem, torne-os saudáveis. Lá, há uma abordagem mais profunda sobre o tal e, inclusive, a história de uma medida bem drástica, mas que funcionou.

Se você gostou deste artigo, compartilhe com seus amigos. Eles também podem ter dúvidas sobre como delimitar o próprio espaço sem se tornar um chato. Deixe um comentário aqui embaixo, também. Compartilhe sua experiência com a gente.

Até o próximo!

Rating: 5.0. From 1 vote.
Please wait...
Zilda de Assis

Sobre o autor | Website

Zilda de Assis é jornalista e gestora de pessoas. Autora dos ebooks: Já que relacionamentos perfeitos não existem, torne-os saudáveis, O que é autossabotagem e Manual dos relacionamentos saudáveis.

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

2 Comentários

  1. Noêmia Dória disse:

    Limites e respeito, uau! Árduo exercício! Mas super possível!

    No votes yet.
    Please wait...
    • Muito possível, Noêmia!

      Penso que é uma questão de prática, também!

      Abraço,

      No votes yet.
      Please wait...
Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.
%d blogueiros gostam disto: