Tenha o relacionamento que sempre sonhou, com esse passo a passo simples.

Inscreva o seu e-mail aqui e receba o Manual dos relacionamentos saudáveis. É grátis!

Saúde e bem estar

5 dicas para quem sente medo do câncer se proteger dos riscos de desenvolver a doença (a 4 é a mais importante)

Se o medo do câncer leva você a nem pronunciar a palavra, veja o que você pode fazer para evitar essa doença.

O medo do câncer

(Foto: internet/reprodução)

O medo do câncer pode até parecer paranoia, mas é legítimo e tem uma explicação muito objetiva. Segundo dados do Instituto Nacional do câncer (INCA), a doença mata 8,2 milhões de pessoas por ano no mundo. Isso, dentro do panorama onde as perspectivas para o diagnóstico e a terapêutica do carcinoma são as mais promissoras possíveis.

O estigma assassino da doença se consolidou até as primeiras décadas do século XX. Quando o câncer matava e tinha chances de cura extremamente baixas.

Outro ponto de extremo alarme é o número de variações da enfermidade. De acordo com o oncologista Dráuzio Varela, o câncer possui de mais de cem tipos de doenças. Varela explica que o único ponto comum entre elas é a célula maligna.

No começo de 2016, recebi o diagnóstico de um carcinoma lobular invasivo na mama direita. E ele não estava só. Fazia-se acompanhar por outro carcinoma em um linfonodo da axila direita. Ou seja, havia se ramificado para o sistema linfático.

Foi nessa ocasião que pude perceber o quanto as pessoas sentem medo do câncer. Recebi a solidariedade instantânea de familiares e amigos, mas a grande maioria não conseguia pronunciar o nome da doença. Ouvi de tudo: aquela doença, essa doença, esse problema, o seu problema. E, para cada frase do tipo eu falava: câncer, eu estou com câncer.

É que as pessoas agem como se o câncer fosse o Lord Voldemort do Hary Potter. Ele era tido como o mal maior da história e se seu nome fosse pronunciado, era perigoso ele aparecer.

Se você sente medo de desenvolver um carcinoma ou conhece alguém que tenha, chegou ao lugar certo. Leia o artigo até o final e você vai conhecer cinco maneiras de preveni-lo. Vai ter também como orientar seus amigos e parentes que também tenham medo do câncer.

medo do câncer - cena de Laços de família.

O medo do câncer tem uma das origens nos efeitos colaterais da quimioterapia. (Foto:  cena da novela Laços de família da TV Globo – internet/reprodução)

Origem do medo do câncer

O medo do câncer não é barreira fácil de cair perante fatos que você conhece ao longo da vida. Toda pessoa sabe de inúmeros casos de óbito pós o diagnóstico da doença. Alguns são quase que instantâneos ao diagnóstico, outros com maior longevidade, mas a maioria com poucos sucessos.

Na minha família, por exemplo, juntando os casos por parte de mãe e pai, são oito. Do total, apenas dois com cura, um deles o que vivenciei em 2016.

Só quando me vi diante da eminência de um diagnóstico positivo para o câncer de mama percebi o medo. Fui informada das chances de cura; três anos antes, acompanhei o caso de uma prima que havia vencido um carcinoma no estômago. Mesmo assim, eu tive muito medo do resultado dos exames.

E não foi apenas medo de morrer que eu senti. O pior de tudo, no meu caso, era a possibilidade de ter que passar por todo o tratamento. Foi o medo da dor, de precisar me submeter à quimioterapia, de passar muito mal. E o medo da perda dos cabelos, que posteriormente vivenciei sem trauma.

Mas o medo do câncer se dá em maior proporção em função da possibilidade eminente e clara de morrer. Receber o seu diagnóstico é como ser condenado à morte, apesar dela ser a única certeza da vida. E, no caso do câncer, ainda é pior: você se vê bem próximo do túmulo, mas com todo um caminho de sofrimento a ser percorrido.

Medo do câncer – Cerimônia do sino, onde o paciente bate o sino para anunciar o fim do tratamento.

Luz no fim do túnel para o medo do câncer

Felizmente, a ciência tem provado que todo esse estigma criado em torno do câncer está errado. Em casos como os de mama e próstata, as perspectivas de cura superam os 90%, caso sejam descobertos no começo.

Países de primeiro mundo já registram índice de 50% de cura de todos os casos constatados anualmente. Além disso, entre as dez principais causas de morte no mundo, apenas um tipo de tumor é listado, o de pulmão.

Isso indica que uma simples diarreia, pode ser muito mais perigosa que um câncer acompanhado desde o início. Tudo vai depender do acesso ao tratamento e do tipo e estágio do carcinoma.

A grande questão em torno do câncer é que ele é tido como uma doença incurável. Isso é fato porque em muitos casos, a cura não é possível, embora não signifique que é uma sentença de morte. A oncologista que acompanha meu caso, Ana Carolina Guimarães Castro, informa que muitos casos são tratáveis e passam a ser considerados crônicos. De acordo com ela, ainda nessa situação, o paciente tem qualidade de vida, desde que respeite as recomendações médicas.

Essa informação é muito importante, uma vez que o medo do câncer está totalmente associado à morte eminente. Quando o assunto é essa enfermidade, torna-se necessário ter sempre em mente que cada caso é distinto. Falar em tumor maligno não implica em sentença de morte, uma vez que mesmo sem cura, a pessoa pode conviver com ele.

Durante minha jornada no tratamento do câncer de mama, aprendi que existem cinco formas de se proteger contra essa doença. Fique atento! O medo do câncer é quase que unânime na população, embora os avanços da medicina indiquem proporção enorme de êxito.

medo-do-câncer-reeducacao-alimentar

(Foto: internet/reprodução)

1 – Reeducação alimentar

Entre os fatores de risco de desenvolver um carcinoma, os hábitos alimentares são sempre os mais comentados. Eu não dava a menor importância para isso e confesso que até debochava das pesquisas.

Após a cirurgia conservadora a qual me submeti, veio um alerta importante. A mastologista que me operou, Dra. Lúcia Aiko, me informou a gordura é risco altíssimo para o câncer de mama. E eu, estou há anos em luta contra a balança.

Para outros tipos de tumores, o consumo de carne vermelha também é fator de muito risco. A agronomia explica que a carne vermelha é rica em substâncias tóxicas para o organismo. Entretanto, por fatores nutricionais, é complicado adotar uma dieta sem ela. Por isso, reduzir o seu consumo é suficiente para evitar o câncer e manter uma boa nutrição.

Evitar comer embutidos e alimentos industrializados é outra forma de prevenção. Esses tipos de alimentos são produzidos com conservantes. Entre eles, está o nitrato de sódio que garante a boa aparência e a durabilidade deles. Esses conservantes são ricos em alcatrão, que coincidentemente é a mesma substância letal da fumaça do cigarro.

O açúcar é o grande vilão para o aparecimento de tumores malignos. De acordo com os médicos, as células tumorais precisam de grande quantidade de açúcar para se alimentar.

Refrigerantes são grandes aliados das células do câncer. Além de ricos em açúcar, ainda possuem o gás e outras substâncias cancerígenas.

O ideal é a adoção de uma alimentação rica em frutas, fibras, legumes e verduras. Quanto mais natural a sua alimentação for, mais protegido do câncer e outras enfermidades seu organismo estará.

medo do câncer - sedentarismo

(Foto: internet/reprodução)

2 – Combate ao sedentarismo

As pessoas que se movimentam fazem com que o organismo funcione melhor. Pesquisas indicam que pacientes que foram diagnosticados com câncer e adotaram a prática de exercícios físicos após a químio e radioterapia reduziram drasticamente o risco de recidiva.

A proporção de proteção é de 29% para mulheres e 22% homens. Para quem já fez tratamento de câncer o risco de recidiva cai para 60%.

Um fato precisa ficar bem explicado aqui. A prática de exercícios físicos estimula a produção de neurotransmissores do bem estar. Uma matéria publicada aqui no CSG, explica como essas substâncias atuam sobre as células de defesa do organismo.

Por essa razão, é possível acreditar que a prática de exercícios físicos fortaleça o sistema imunológico. 

medo do câncer - estresse

(Foto: internet/reprodução)

3 – Controle do estresse

Controlar o estresse é fundamental para quem quer evitar o câncer. Ele é um estado de alerta emocional e físico que nos deixa prontos para reagir à pressão cotidiana.

Estar estressado implica que o indivíduo fica exposto ao hormônio do estresse, o cortisol. Este tem a função de estimular a quebra das moléculas de proteína e gordura. É responsável também pelo metabolismo da glicose no fígado. Em função disso, aumenta a pressão arterial e o açúcar no sangue, com o objetivo de elevar a energia dos músculos.

O estresse é muito importante para a sobrevivência. Ele promove condições orgânicas para que o indivíduo reaja às situações de perigo. O problema da vida moderna é que as pessoas estão vivenciando o estresse como se fosse o estado normal da vida.

Em função disso, o organismo fica muito tempo sem voltar às suas condições habituais. Tal condição impede a normalidade dos processos fisiológicos, bem como a produção de serotonina, o hormônio do bem estar. Como resultado, o sistema imunológico fica comprometido.

medo do câncer - prevenção

(Foto: internet/reprodução)

4 – Prevenção

Os médicos e organizações de combate ao câncer declaram que a melhor maneira de evitar-lo é a prevenção. Para eles, os recursos para o diagnóstico e terapêutica garantem boas chances de cura e sobrevivência. Entretanto, não excluem os efeitos colaterais do tratamento.

Observar os fatores de risco é importante para a adoção de hábitos saudáveis. Portanto, esteja atento à alimentação, prática de exercícios físicos, uso de bebidas alcoólicas em excesso e tabagismo.

Conhecer o próprio organismo é fundamental. O aparecimento frequente de sintomas estranhos deve ser investigado. Dores de cabeça muito frequentes, alterações digestivas, do sono, podem ser sinais, que se analisados em tempo, salvam vidas.

O autoexame nas mamas é imprescindível para a identificação do câncer de mama. Descobri nódulos nas duas mamas e a investigação levou à descoberta de um tumor na direita. Em função disso, foi possível fazer o tratamento e obter a cura, já que a lesão ainda era pequena.

Visitas periódicas ao médico são necessárias para acompanhar as condições clínicas do organismo. Nenhum processo cancerígeno aparece do dia para a noite. Portanto, o monitoramento da saúde pode auxiliar no diagnóstico precoce de tumores. Consequentemente, permite o tratamento e cura.

É importante destacar que a prevenção não impede o desenvolvimento de uma neoplasia. Porém, a doção de hábitos saudáveis garante que o organismo tenha boa nutrição e normalidade em seus processos fisiológicos.

Por fim, a análise familiar também é fator importante para a prevenção do câncer. Se há casos de carcinoma na sua família, não significa que você desenvolverá um, mas pode lhe ajudar. Há situações em que o indivíduo pode até usar medicamentos específicos para evitar o aparecimento da doença. Noutros, há a necessidade de procedimentos cirúrgicos mais radicais como o caso da atriz Angelina Jolie.

Medo do câncer - obesidade (Foto: internet/reprodução)

Medo do câncer – A obesidade virou epidemia em várias partes do mundo. (Foto: internet/reprodução)

5 – Controle do peso

Pesquisas fazem ligação entre o sobrepeso e o desenvolvimento de tumores. De acordo com uma, realizada na Inglaterra, ele está ligado ao aparecimento de 10 tipos de câncer, no mínimo.

Portanto, se você anda tendo problemas com a balança, fique atento. O desenvolvimento do câncer de mama é altamente ligado à gordura. Outros tipos como o de endométrio, colo de útero, ovário, rim, vesícula biliar, cólon, fígado, tireoide e leucemias também estão relacionados à obesidade. 

Ainda de acordo com pesquisas, no caso das neoplasias mamárias, de endométrio, colo do útero, estão ligadas à produção de hormônios femininos em excesso nas pessoas obesas.

Ligar uma única forma de ação do sobrepeso no desenvolvimento de tumores é difícil, segundo oncologistas da Universidade de Campinas (Unicamp). Entretanto, os pesquisadores apostam em uma, o tecido adiposo. Eles explicam que ele possui outra função, além de acumular gordura, que é produzir proteínas inflamatórias e certos hormônios.

Além disso, estar acima do peso demonstra que o indivíduo possui pelo menos um fator de risco para o câncer. Cito aqui o hábito alimentar, que é a principal causa da obesidade.

Livre do medo do câncer!

(Foto: internet/reprodução)

Livre do medo do câncer

Você viu nesse artigo 5 maneiras para evitar qualquer tipo de câncer. Eles são a explicação de quatro fatores de risco para a doença e a prevenção. Esta é o mais importante deles, pois reúne a adoção de hábitos saudáveis, inclusive visitas periódicas ao seu médico.

Muitas pessoas passam grande parte da vida com medo do câncer. Elas se esquecem, porém, de que o que importa é adotar ações que afastem a doença. No meu caso, por exemplo, descobri que tinha quase todos os fatores de risco na minha rotina diária.

Cabe destacar aqui que a adoção de hábitos saudáveis não implica em transformar sua vida de forma radical. Tudo que excede é prejudicial para a saúde. O importante, para mantê-la, é adequar cada item de segurança ao seu estilo de vida. E lembre-se sempre de jamais levar uma rotina sem alegria e prazer de viver. Afinal de contas, isso também pode levar ao desenvolvimento de tumores e outras doenças.

Se você gostou desse artigo compartilhe com seus amigos. Eles vão ficar felizes em ter acesso a informações que podem lhes ajudar a combater o medo do câncer. Esteja certo de que essa é uma doença que todos temem, por conta do alto número de óbitos que causa.

Se tem alguma dúvida ou deseja compartilhar alguma história sobre o câncer com a gente, deixe seu comentário abaixo. Ele pode ajudar a muitas pessoas a lidarem melhor com o Lord Voldemort da saúde, o câncer.

Até o próximo!

Fontes:

http://www.megacurioso.com.br/saude-e-beleza/51329-15-alimentos-cancerigenos-que-provavelmente-estao-na-sua-mesa.htm

http://g1.globo.com/jornal-hoje/noticia/2011/08/tratamento-contra-o-cancer-evolui-e-indices-de-cura-nao-param-de-subir.html

https://drauziovarella.com.br/cancer/a-cura-do-cancer/

http://www.oncoguia.org.br/conteudo/cancer-tem-cura/81/1/

http://psicoativo.com/2015/12/carcinofobia-medo-de-cancer-causas-sintomas-tratamentos.html

http://doutissima.com.br/2015/06/18/saiba-quais-sao-doencas-que-mais-matam-no-mundo-14701247/

http://www.news.med.br/p/saude/367834/oms+divulga+as+dez+principais+causas+de+morte+no+mundo+de+2000+a+2011.htm

https://pt.wikipedia.org/wiki/Cortisol

http://www.boasaude.com.br/artigos-de-saude/4567/-1/como-o-estresse-pode-afetar-a-sua-saude-e-como-lidar-com-ele.html

http://autoajudaemfoco.com.br/estresse-ansiedade/o-que-e-estresse-definicao-sintomas-e-tratamento

http://saude.abril.com.br/bem-estar/provado-obesidade-causa-cancer/

No votes yet.
Please wait...
Zilda de Assis

Sobre o autor | Website

Zilda de Assis é jornalista e gestora de pessoas. Autora dos ebooks: Já que relacionamentos perfeitos não existem, torne-os saudáveis, O que é autossabotagem e Manual dos relacionamentos saudáveis.

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

8 Comentários

  1. Eu tinha (tenho ainda) muito medo do câncer. Uma coisa que me ajudou foi caminhada todo dia. Parece que o exercício físico tira da cabeça preocupações desnecessárias

    Rating: 5.0. From 1 vote.
    Please wait...
    • Sim, Amaranta. O exercício físico ajuda a arejar a cabeça. Mais do que isso, o exercício faz com que o corpo libere os hormônios do bem estar, eliminando os do estresse. E isso é fundamental para que se tenha saúde!
      Evite o medo, pratique exercícios e procure ter uma vida saudável!

      Muita saúde para você!

      Abraço,

      No votes yet.
      Please wait...
  2. Beatriz disse:

    Parabéns por sua coragem e por esclarecer tantas duvidas que ainda pairam sobre esse assunto.

    Rating: 5.0. From 1 vote.
    Please wait...
    • Obrigada, Beatriz!

      É preciso esclarecer as pessoas sim. O câncer é difícil, mas pode ser superado!

      Abraço,

      No votes yet.
      Please wait...
  3. Dulcemar disse:

    Ótima matéria, Zilda.
    Texto muito informativo, parabéns!
    Além de ter pesquisado sobre o assunto, os fatores de risco, você está passando pelo tratamento, sabe muito bem do que está falando.
    Um abraço.

    Rating: 5.0. From 1 vote.
    Please wait...
    • Obrigada, Dulcemar!

      De fato, sei bem do que estou falando.
      É que a gente nem percebe que está dentro dos fatores de risco, até vivenciar o problema!
      Abraço

      No votes yet.
      Please wait...
  4. Dani França disse:

    Excelente artigo!

    Rating: 5.0. From 1 vote.
    Please wait...
    • Obrigada, Dani!

      No votes yet.
      Please wait...
Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.
%d blogueiros gostam disto: