Tenha o relacionamento que sempre sonhou, com esse passo a passo simples.

Inscreva o seu e-mail aqui e receba o Manual dos relacionamentos saudáveis. É grátis!

Saúde e bem estar

A terceira lição que o câncer me ensinou – Terapias alternativas são armadilhas para o tratamento do câncer

Se você acredita piamente em todas as terapias alternativas para cura do câncer que ensinam, fique atento. Elas podem ser armadilhas. Saiba o motivo.

Terapias alternativas para cura do câncer podem virar um problema sério se usadas indiscriminadamente. (Foto: <a href="http://www.freepik.com">Designed by Pressfoto / Freepik</a>)

Terapias alternativas para cura do câncer podem virar um problema sério se usadas indiscriminadamente. (Foto: Designed by Pressfoto / Freepik)

As terapias alternativas para a cura do câncer devem ser vistas com equilíbrio. Essa foi a conclusão que cheguei na reta final do meu tratamento de um câncer de mama. O ponto central em torno dessa doença é o medo que se tem, reforçado pelo seu potencial assassino.

Uma expressão define a relação entre a sociedade e a descoberta de um tumor maligno: necessidade de fuga. Tudo relacionado ao câncer é ainda tabu e gira em torno de três pontos. Eles são a vontade de se livrar da doença, da exaustão e do sofrimento que a intervenção médica causa. No meu caso, por exemplo, foram 10 longos meses de maratona entre consultas, exames, cirurgia e procedimentos.

E é o fator tempo que mais incomoda o paciente e toda a comunidade ao seu redor. Além disso, curar um tumor é um processo sofrido, em função de efeitos colaterais e a violência dos processos terapêuticos. Tudo isso leva ao desenvolvimento de um pensamento mágico na população: é preciso encontrar algo mais fácil para combater a enfermidade.

E é aí que entram os riscos das terapias alternativas para a cura do câncer. Se você já acompanhou algum caso de tratamento de tumor maligno sabe do que estou falando. A primeira preocupação é ajudar o paciente a tentar encontrar um método mais suave e eficaz para promover a cura.

Porque terapias alternativas para cura do câncer são armadilhas

Você chegou a este artigo querendo saber por que afirmei que terapias alternativas são armadilhas para a cura do câncer. Sim, elas são ciladas por questões muito óbvias. Primeiro, a grande maioria da população confunde o fato de serem alternativas com a possibilidade de ser optativa. Elas são alternativas por estarem fora do tratamento convencional. Além disso, é muito arriscado interromper o acompanhamento médico na terapêutica de uma neoplasia.

Segundo, porque todo tratamento de saúde para ser confiável precisa ser acompanhando por um profissional capacitado. E por mais dificuldades que existam, o médico é o personagem indicado para tal. Só ele tem os parâmetros para dizer se uma terapêutica está ou não sendo bem sucedida.

A questão é tão séria que laboratórios só realizam exames de diagnósticos com pedido do clínico que acompanha o caso. Por isso, o terapeuta alternativo não tem como aferir a eficácia da sua intervenção. Ele tem sim, a indicação do próprio paciente que vai informando como se sente ao longo de seus procedimentos. E, nesse ponto, quem está em tratamento pode se autoenganar muito facilmente. Ele se move para a prática não convencional, em função da esperança ou do desespero e está sujeito a enganos. Isso em função da possibilidade dos sintomas serem mascarados.

O número de pessoas que abandonam o acompanhamento médico para fazer tratamentos com curandeiros e morrem é muito grande.  Do ponto de vista psicológico, toda tentativa de reverter o mal é válido, mas desde que com o devido acompanhamento médico.

Um ponto seríssimo dentro desse aspecto é o fato de que plantas tidas como milagrosas costumam ser altamente tóxicas.  Dentro dessa perspectiva, podem até curar o tumor em questão, mas intoxicam e comprometem o fígado, por exemplo. Nisso, médicos, farmacêuticos, enfermeiros e nutricionistas são unânimes.

As terapias alternativas para cura do câncer devem ser usadas em parceria com as convencionais e conhecimento médico. (Foto: internet/reprodução)

As terapias alternativas para cura do câncer devem ser usadas em parceria com as convencionais e conhecimento médico. (Foto: internet/reprodução)

Qual a função das terapias alternativas para cura do câncer

Longe de mim fazer uma caça às bruxas com as terapias alternativas para a cura do câncer. Elas têm seu papel e são muito importantes para a qualidade de vida do paciente durante o tratamento. A questão é que elas não devem substituir nenhuma das fases da abordagem médica para cada caso e sim caminhar em paralelo.

É preciso reforçar que a prerrogativa de tratar e curar enfermidades é exclusiva dos médicos. Eles se prepararam para isso, mesmo estando sujeitos a erros. Cabe lembrar que são humanos e que o nosso corpo é extremamente complexo.

A própria medicina já entendeu que as terapias alternativas são importantes parceiras no tratamento. Finalizei a quimioterapia na Oncocentro, em Belo Horizonte. Lá, eles disponibilizam a yoga, como meio de cooperar com a aplicação dos medicamentos. Foi lá também que fiquei sabendo que o reiki é aplicado com sucesso durante a quimioterapia no hospital das clínicas de São Paulo.

O maior problema criado pelas terapias alternativas para cura do câncer

O maior problema criado pelas terapias alternativas para cura do câncer são as crenças equivocadas. De um lado, grande parte da população acredita que elas sozinhas são capazes de resolver o problema. Do outro, alguns médicos ainda são resistentes ao benefício que elas podem proporcionar à terapêutica convencional.

Nem tanto ao céu, nem tanto à terra. Os únicos tratamentos para as neoplasias malignas comprovadamente eficazes são as intervenções médicas. Em alguns casos, a quimioterapia sozinha cura a doença. Noutros, ela em conjunto com cirurgia e radioterapia. Em outros, apenas a cirurgia ou a radioterapia.

Contudo, são procedimentos extremamente invasivos, dolorosos e longos, o que leva à necessidade de outros para compensar o sofrimento. No meu caso, por exemplo, foi necessário cirurgia, quimioterapia em duas etapas e radioterapia.

Recorri a tratamentos coadjuvantes como o reiki, a fluidoterapia espírita, homeopatia e acupuntura. Os dois últimos estão dentro do leque de especialidades médicas, mas não são restritos ao carcinoma. Todos juntos asseguraram minha cura de um câncer na mama direita e proporcionaram qualidade de vida durante as intervenções médicas.

O que fazer?

De acordo com o corpo clínico que me acompanhou na jornada de combate ao câncer de mama, todo cuidado é pouco com os curiosos. É preciso acima de tudo ter prudência quando o assunto é sua saúde. A única solução para um tumor maligno é a prevenção, mas ela não é garantia de imunidade. Esta apenas garante que no caso do desenvolvimento dele, a descoberta antecipada possibilite tratamento e cura ou controle da doença.

Ter um câncer em si ou na família implica em uma série de fatores emocionais que podem agravar ou amenizar o percurso até a vitória. Nesse ponto surgem milhares de procedimentos malucos, cuja maioria está baseada em alguém que obteve êxito, mas sem qualquer respaldo.

O recomendado é sempre ouvir o que a medicina tem a dizer. Apesar de dolorosos, longos e caros, seus recursos são obtidos após muitas pesquisas e liberados pelas instituições de saúde.

As terapias alternativas para cura do câncer são muito bem vindas, desde que feitas em parceria com a convencional. Mesmo assim, precisam ser avaliadas pelo corpo clínico responsável pelo caso. Ele tem informações do que pode ser usado em função da infinita variedade de situações.

Essas são as armadilhas para cura do câncer. Espero que agora, de posse dessa informação, você possa estar melhor informado sobre o processo de combate a essa doença. Se gostou do artigo, compartilhe com os seus amigos e marque nas estrelinhas aqui abaixo do post. Ajude outras pessoas a terem acesso a esses dados. Deixe também seu comentário. Ele é muito importante para nós.

Até o próximo!

Rating: 5.0. From 2 votes.
Please wait...
Zilda de Assis

Sobre o autor | Website

Zilda de Assis é jornalista e gestora de pessoas. Autora dos ebooks: Já que relacionamentos perfeitos não existem, torne-os saudáveis, O que é autossabotagem e Manual dos relacionamentos saudáveis.

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

2 Comentários

  1. Dulcemar disse:

    Olá!
    Gostei de seus argumentos.
    Muito bom o post.
    Parabéns!

    No votes yet.
    Please wait...
    • Gratidão, Dulcemar!

      Abraço!

      No votes yet.
      Please wait...
Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.
%d blogueiros gostam disto: